Lógica do coração

 

No evangelho de  Mateus (14, 13-21) nos mostra que o individualismo e  a indiferença, o egoísmo   sempre foram a lógica humana, descrevendo a sugestão dos que estavam em volta de Jesus quando escureceu e a multidão não quis se afastar dele, e os discípulos sugeriram:

“Manda embora toda esta gente, para que vá às aldeias comprar alimento”.

Estão aí presentes as duas atitudes básicas da humanidade até hoje: uma a que exclui, rejeita e abandona, e a outra a que acolhe, cuida e ama: a que Jesus ensinou e ainda permanece em muitos, a que Francisco nos exorta todos os dia a aceitar e seguir:

“Não precisam de se ir embora; dai-lhes vós de comer».

Disseram-Lhe eles: «Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes».

Disse Jesus: «Trazei-mos cá».

Ordenou então à multidão que se sentasse na relva. Tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao Céu e recitou a bênção. Depois partiu os pães e deu-os aos discípulos e os discípulos deram-nos à multidão.

Todos comeram e ficaram saciados. E, dos pedaços que sobraram, encheram doze cestos”.

A lógica de Jesus é a diametralmente oposta a dos que até hoje seguem mandando os barcos dos refugiados que tocam terras europeias embora, dos que erguem muros para proteger suas cidades cheias de violência, do egoísmo e do consumismo, dos que humilham e dividem as próprias comunidades entre ricos e pobres, brancos e negros, nativos e estrangeiros, homens e mulheres e tantas outras etiquetas que vivem colocando nos seres humanos.

A lógica de Jesus é da “reunam-se todos, cuidemos de todos, acolhamos os mais frágeis, ajudemos os mais necessitados, recebamos os que sofrem e curemos os doentes, consolemos os que sofrem, abençoemos e oremos por todos”. Não há mais lugar, depois de dois mil anos para transformar seres humanos em objetos e a natureza em fábrica de produção em série de recursos para as nossas exageradas e inuteis necessidades que fazem de tudo e transformam tudo em lixo.

Pensemos pela lógica de Jesus que até o que sobra ele abençoa e cuida, conserva para a nossa eterna necessidade de misericórdia e compaixão.

 

Exeriencia  para lá de positiva

Gosto de gente e o que mais me enriquece na vida de “eterna exilada” como dizia o poetinha Vinicius de Moraes, é conhecer gente nova e nova gente.

Comunicar e interagir com outros povos, aprender novas línguas, conhecer novos costumes e virar de cabeça para baixo o modo de pensar e ver a vida  é para mim o maior aprendizado que posso levar do mundo, e isso só a vida  no exterior me tem dado e isso só aqcontece se se está inserida em outra cultura, convivendo com outras gentes, compartilhando o dia adia, o que nenhuma viagem de turismo pode proporcionar.

São tantas as experiencias que poderia escrever vários livros se pensar nos 10 paises que vivi e em tantos anos de vida como expatriada.

Nosso primeiro posto foi a Guatemala, uma cidade linda e um povo doce e sofrido como tantos. Ali vislumbrei pela primeira vez a história ancestral dos povos da América Central e me deslumbrei conhecendo o sitio arqueológico de Tikal, construida pelos Olmecas, Mayas e Azteca nos albores da prineiro século da era cristã, também eles construiran uma arquitetura  monumental e foram grandes sábios, escreveram uma epopeia de suas lutas e conquistas o Popol Vohl e, inventaram o famoso calendario maya, já conheciam noções de medicina e cirurgia e eram grandes artistas.

Em Montevidéu, nosso segundo posto, tivemos uma linda experiências com os colegas, formamos uma turma de amigos que perdura até hoje: amigos na embaixada e amigos no país.

Essas e tantas outras estórias fazem parte de uma vida que agora me enriquece de memórias que voltarei a contar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Lógica do coração

  1. Maria Helena Fernandes disse:

    Eu penso que a lógica de Jesus e outros mestres, começa do amor por nós mesmos, sendo espiritualidade, a bondade, a alegria, a solidariedade e por aí vai, isto é a oração que ritual algum pode nos dar e à partir daí tudo expande pro amor aos mais próximos, como os da nossa casa, até chegar aos outros povos. É um exercício e uma oração, o amor. Precisamos aprender, temos a vida aí pra isso.

  2. Cristina Fernand Marmo disse:

    Oi Celminha, Lindas as palavras do Evangelho…é sempre bom ler e refletir!As suas memórias estão muito bem escritas, de maneira simples e boa de ler, Parabéns!!! bjs Tina

    Date: Fri, 8 Jan 2016 15:10:24 +0000 To: cristina.fernand@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s